quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Stranger Things É Demais (de novo!)




E para ilustrar a chegada do Halloween, a saudosa Netflix lançou a 2ª temporada de Stranger Things.
A série, que surgiu de forma modesta como mais uma das obras da Netflix, rapidamente se tornou um sucesso mundial, atraindo uma legião de fãs e se tornando um grande sucesso da crítica.

Como um dos lançamentos mais aguardados do ano, a segunda temporada de Stranger Things não decepciona, pelo contrário. Além de manter o mesmo nível de qualidade de roteiro da temporada anterior, traz de volta toda a interação fantástica do elenco,  aprofundando o amadurecimento de diversos personagens a ponto de nos fazer gostar ainda mais deles, um perigo ainda maior surgindo, cenas de humor e lógico as referências da década de 80. Aliás..essa temporada está lotada de referências, inclusive referências á outras obras!

A equipe de marketing fez uma excelente divulgação desde o princípio. Além de enaltecer o carisma das crianças e a simpatia dos adultos que fazem parte do elenco, os pôsters oficiais da nova temporada mantiveram a tradição anterior: são todos baseados em pôsters de filmes famosos da época. Temos pôsters baseados em Tubarão, Alien, Gonnies, etc. Houve ainda trailers promocionais com a participação de artistas famosos: se no ano passado tivemos um comercial hilário de Stranger Things com a apresentadora Xuxa, para a segunda temporada tivemos um comercial hilário com Maria Antoniete de Las Nieves, ( a Chiquinha do Chaves). Isso sem falar de toda a divulgação na internet e principalmente nas redes sociais, onde o fandoom também contribuiu para manter ativa a empolgação para a nova temporada (memes, altos memes!)


Ah, as referências...

  Stranger Things se consagrou, já na segunda temporada, como uma das melhores e mais lucrativas séries da atualidade justamente por sua originalidade e qualidade. A segunda temporada veio para manter isso e consegue. O enredo se torna um pouco mais dramático e sombrio do que a primeira temporada, o que se faz necessário principalmente para explicar diversos acontecimentos da temporada anterior e suas consequências nessa nova.

  A nova temporada conta com 9 episódios, que passam tão rápido que você nem percebe (mesma coisa que acontece na primeira temporada) te deixando ansiosa por mais. Só que você vai ter que esperar. E não adianta tentar assistir tudo devagar, não vai conseguir. Você vai maratonar, é incontrolável.
  Ainda mais porque nessa nova temporada também são apresentados novos personagens incríveis que tornam a história ainda mais abrangente e (no caso de uma em especial) abre a possibilidade de novos enredos para temporadas seguintes. Foi uma deliciosa surpresa termos Sean Astin no elenco (uma vez Sam, sempre Sam!).

  Aliás essa temporada procura focar em alguns personagens que na temporada anterior estiveram mais como coadjuvantes, enquanto personagens que antes pareciam mais protagonistas, se tornaram coadjuvantes nessa temporada. Não que eles tenham sumido, mas seu tempo em tela e papel na trama se tornaram menores para permitir que outros personagens pudessem se destacar. E isso foi algo excelente que não apenas criou um maior dinamismo na história, mas que desenvolve nosso grau de afeiçoamento (seja nos surpreendendo com alguns personagens e nos afeiçoando ainda mais a outros) e revela o potencial do elenco.



Personagens novos. Se atente neles. 


  O maior destaque nessa temporada sem dúvidas foi o Will ( Noah Schnapp). Após seu retorno do mundo invertido, o garoto continua a ser assombrado pelo que quer que exista lá. E a atuação de Noah é simplesmente fantástica e surpreendente para uma pessoa tão jovem. Ele consegue transmitir todo o medo, solidão, desespero e tristeza que o personagem carrega, fora os momentos dos ataques que seu personagem sofre. Sem dúvida o garoto se saiu melhor do que muito ator adulto e vencedor do Oscar que vemos ultimamente.

  Em questão de personagem, o maior desenvolvimento ficou - surpreendentemente - para Steve. O personagem que na primeira temporada não agradou ao público, que foi babaca na maior parte do tempo e que até "prejudicou" o shipp dos fãs (rs) nessa temporada se revelou um personagem incrível, de coragem, caráter e simpatia. Rapidamente caiu no agrado do público, com seu amadurecimento e bom desenvolvimento. Ele agora é, junto com os outros, um dos queridinhos dos fãs. E realmente, ele está muito legal nessa temporada! #teamSteve

E claro que não podemos esquecer a Eleven que volta ainda mais poderosa e carismática. Essa temporada nos presenteia com mais informações sobre seus poderes e que ela não é a única (opa, os spoilers param aqui). Sua interação com o xerife Hopper é fantástica e ficamos todo o tempo naquela ansiedade de seu reencontro com Mike (que é emocionante, posso garantir).


Noah foi o destaque em atuação nessa temporada.
 Pensa em um garoto talentoso

O troféu de melhor personagem da temporada vai para....Steve!


As cenas de ação estão fantásticas e a interação das crianças idem. Como é possível esses pimpolhos serem tão fofos, carismáticos e divertidos?  É dificil eleger um preferido, cada um é o melhor do seu jeito. E ainda tem criaturas de outro mundo, um grande mal se aproximando (e bota grande nisso!), cenas de humor hilárias (eu ri muito com o Lucas abrindo a porta com um chute voador), aquele drama que nos faz se afeiçoar ainda mais aos personagens, reviravoltas e explicações de coisas que nos deixam intrigadas, mas colocando ainda mais mistérios para serem revelados e explorados.

Mais do que recomendado, Stranger Things é uma série que precisa ser vista e compartilhada. Não é saudosismo ou moda..a série é boa mesmo! O tipo de história que agrada aos mais diversos públicos e faixas etárias. Sem dúvidas uma das melhores criações da Netflix.

E depois de ver e rever a segunda temporada resta aguardar a próxima na ansiedade de sempre.





~*~

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Muito bom mesmo!!!!! Por essas e outras que a Netflix cresce e a TV aberta decai cada vez mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Tv aberta estará com os dias contados daqui alguns anos..mas ainda se sustenta com noticiários e novelas.

      Excluir
  2. É uma série muito divertida. O elenco é sensacional, Finn Wolfhard é excelente, recém o vi em It, ele fez um excelente trabalho como Richie. It: A coisa é a minha história favorita de Stephen King, acho que o novo Pennywise é muito mais escuro e mais assustador, Bill Skarsgård é o indicado para interpretar o palhaço. Os filmes de terror são meus preferidos, evolucionaram com melhores efeitos visuais e tratam de se superar a eles mesmos. Eu gosto da atmosfera de suspense que geram. It tem protagonistas sólidos e um roteiro diferente. O clube dos perdedores é muito divertido e acho que os atores são muito talentosos. Já quero ver a segunda parte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me surpreendi com o talento do Finn em It. Um papel totalmente oposto ao que ele fez em Stranger Things e ele interpretou incrivelmente bem.
      Adoro It também, para mim é uma das melhores obras do Stephen King (ao lado de O Iluminado e A Espera de um Milagre).

      Antes de ver o remake, asisito o antigo...e posso dizer que o remake ficou tão bom quanto o primeiro. O que é raro de se acontecer. Na verdade acho que o remake tem tudo para superar filme anterior, até porque o ritmo de narrativa do remake segue o ritmo de narrativa do livro.
      Não desmerecendo de modo algum o filme de 1990, que tem o Tim Currry on papel de Pennywise. A atuação dele é fantástica e muito realista. O Pennywise do Bill Skarsgard é muito bom ,maso do Tim Curry tem um toque de psicopata-pedófilo que na certa foi desenvolvido com base no serial killer notório Jon Wayne Gacy, que aterrorizou os EUA década antes do filme (e que na certa o Stephen King se baseou para dar forma de palhaço ao "mal" que o Pennywise representa).

      Estou ansiosa também pela parte 2 do remake, tem tudo para ser tão bom quanto o primeiro.

      Excluir