terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Retrospectiva Cosplay 2017



Sailor Saturn

E mais um ano que se acaba e outro que está prestes a se iniciar! 
O que foi esse 2017 que passou tão rápido? Para mim esse foi um bom ano, um ano no qual eu procurei manter o foco em algumas coisas que queria e como resultado, pude obter ótimos frutos!


Vincent e Re-L de Ergo Proxy


Parando agora para pensar, embora ainda muita coisa eu não tenha conseguido fazer e/pu concluir, procuro focar naquilo que consegui obter, adiantar ou mesmo colocar em alguma direção. Provavelmente para o novo ano que se inicia eu mantenha o foco, desvie um pouco do foco (rs) e encontre mais focos.
Mas acredito que esse ano consegui procrastinar menos e, embora não tenha avançado muito nos meus projetos literários, avancei em outros.


Viúva-Negra


O principal, obviamente, é no que se refere aos cosplays, especificamente aos photoshoots cosplays.
Sem zoeira, eu fiz cerca de 17 photoshoots!! Abrir mão de grande parte dos eventos se mostrou muito mais compensador , pois pude focar nos ensaios e o resultado foi simplesmente incrível!
Além de ser uma delícia de se fazer, o photoshoot cansa menos e garante fotos maravilhosas! É um investimento que realmente vale á pena e muitas vezes você se diverte mais nele do que em alguns eventos.


Cruello e Cruella Devil

Em se tratando de cosplay, esse ano acabei fazendo 9 projetos novos. Dois deles não tive tempo nem local de fazer um ensaio ainda, mas pretendo fazer isso em 2018. Foi um ano em que indiretamente acabei focando em cosplays femininos (fiz apenas 2 masculinos e um é bem aviadado então não sei se conta rs) mas até gostei pois pude realizar dois desejos meus de cosplay, que era fazer a Emma Frost de X-Men e a Sailor Saturno.
Este dois foram cosplays cujo resultado surpreendeu até a mim mesma e me orgulho muito por isso, por ter me dedicado em conseguir fazer o melhor possível para obter um bom resultado no cosplay e o retorno da galera sobre eles foi super positivo.


Mulher-Gato


Este ano fui apenas em 4 eventos: Festival do Japão, To-Sa Matsuri, Jundcomix e Ressaca Friends. Essa diminuição de eventos foi super benéfica para mim, pois além de ter sobrado grana para ensaios, os eventos que escolhi ir acabaram que super compensaram e me trouxeram um retorno mega positivo. Em todos eles encontrei gente legal, fiz novas amizades e contatos e também pude fazer fotos maravilhosas (no JundComix rolou 2 photoshoots no evento XD). 
Ainda, creio, "dei sorte" de ter ido em eventos que estavam bons (o Ressaca estava com a estrutura meio meh, mas ainda assim dava pra curtir o evento). Isso me incentiva em 2018 continuar indo bem pouco em eventos e escolher bem os que vou.


Howl e Sophie de Castelo Animado


Tive também, ao longo desse ano, um retorno bacana sobre meus cosplays e até mesmo no vídeo do meu canal. Inclusive comecei a ser colunista do site Cultura Cosplay na parte de...cosplays! E meio cosplay no geral.
 Agradeço imensamente á todos que acompanham meus trabalhos com cosplay, as amizades e contatos que fui fazendo, aos elogios e incentivos. É isso que me motiva a permanecer e continuar nesse meio, procurando me aperfeiçoar sempre e tentar fazer o meu melhor.

Emma Frost


E já que entramos na parte de agradecimentos, tenho uma pequena (ou nem tanto) listinha de pessoas que esse ano foram importantes:
Ao meu mozão Allan, as minhas best migas Hime, Lari, Peefe, Yara...as migas Carol, Line, Nath, Lita, Su, Aricia, Agatha, Telma, Lesly, Paulitchas, Nay, Criska, aos migos Marcello, Roger, Douglas, Rapha, Thi, Rod, Edson, Renan (primoso!), André, João Paulo, Alê (com a nossa parceria na Cospositivismo) e mais tantas pessoinhas queridas!
E aos fotógrafos incríveis com os quais pude fotografar esse ano, realizando shoots lindos (Roger, Douglas, Dolci, Feitoza, Bomjardim, André King, Raíssa, Kato, Lucas, Marroni...que em 2018 venham mais ensaios!


Ryuko e Satsuki - Kill la Kill


Agora, na parte de criação, fiz bons avanços artesanais. Desde que comecei a mexer com artesanato para fazer acessórios para meus cosplays, fui e estou evoluindo aos poucos. Para quem não sabia mexer com nada, eu agora estou até me virando bem. Acho que meus maiores progressos foram fazer o equipamento DMT (de Shingeki no Kyojin) totalmente sozinha (nem acredito!) e a customização das roupas das minhas duas versões do cosplay do Yurio (de Yuri on Ice). Nesse, eu não acredito que consegui customizar toda a roupa dele de apresentação no gelo, justamente a que quase ninguém faz, por conta das poucas referências!
 Ainda não consegui usá-la para um ensaio, mas em 2018 hei de conseguir! Foi algo que jamais pensei que poderia fazer mas com perseverança, incentivo das migas e coragem, eu consegui.
E isso me motivou muito a continuar tentando fazer cada vez mais coisas. Tenho em mente um projeto ousado pra 2018 no qual quero tentar fazer a roupa...espero conseguir!


Alice in Wonderland


Infelizmente, na parte dos projetos literários deixem a desejar. Mas acho que fica meio dificil conseguir se focar em várias coisas ao mesmo tempo: acabei tendo que escolher priorizar algumas e optei pelos cosplays. Entretanto, minha mente continua fervilhando constantemente com ideias para histórias novas (socorro! não dou conta nem do pouco que está pendente!) e espero poder, em 2018, terminar a fanfic do Cruello, focar em um projeto em dupla e tentar (mais uma vez) focar em algo original. Mesmo que eu não conclua nada, pelo menos gostaria de deixar algo meio encaminhado e não abandonar no meio do processo, como vivo fazendo.


Logan e X-23


Falando em projetos, tenho intenção de iniciar um (não relacionado com escrita e nem cosplay). Mas como é algo diferente, estou ainda pesquisando bem material e etc por isso não tenho como adiantar muita coisa. Mas é algo que tenho vontade e como já trabalhei um pouco com isso, pretendo retomar mas com outros produtos. Então...desejem-me sorte!
Se tudo der certo, assim que tiver boa parte ajeitada, já irei divulgar pelas redes sociais. Afinal,  parado com essa crise não dá pra ficar hehehe. Mas como quero fazer algo bem legal, estou procurando me organizar da melhor forma possível.


Sesshomaru e Rin


Mesmo antes do ano acabar, já comecei a programar e dar os primeiros passos para os meus projetos cosplay em 2018. Não sei se conseguirei concluir todos (meio dificil) mas tem alguns que quero muito conseguir realizar e vou trabalhar e me esforçar para isso. Se tudo der certo, será o ano de cosplays de filmes. \o/
Estou bem empolgada para começar a receber e fazer as coisas de cada um deles e ainda mais ansiosa para conseguir finalizá-los e revelar quais são. Vai vir coisa bem legal!


Androide 17


Ainda na retrospectiva desse ano, várias coisas boas foram acontecendo na minha vida e também reservei um tempinho para estudar por conta. Ainda estou nas luta contra a procrastinação para me focar em estudar um idioma. Ao contrário de outras coisas, sou meio ruim para focar nisso, mas estou tentando!
Em contrapartida, vou estudando temas que realmente curto e que podem vir a ser utéis para meus projetos literários no futuro. Na verdade sou do pensamento de que tudo que aprendemos é útil porque conhecimento nunca é demais e acaba sendo um diferencial tanto pessoal quanto profissionalmente.


Yuri e Otabek - Yuri on Ice


Em 2017, não consegui fazer tudo o que eu queria, mas conseguia fazer várias coisas que queria. Algumas coisas não aconteceram e outras que eu nem imaginava, aconteceram. Ainda estou, dia após dia, tentando ser uma pessoa melhor e procurando aprender algo. Evolução constante é a definição.
Claro, também tenho alguns problemas na vida (quem não tem?) mas procuro tentar lidar com eles "em off" ou com ajuda de pessoas mais próximas. Acho que isso é importante porque, por mais que precisemos cuidar de algumas coisas nós mesmos, ás vezes não há mal algum em pedir e aceitar ajuda dos outros também.
Aliás, agradeço á todos aqueles que confiaram em mim e os quais eu pude ajudar de alguma forma. Eu gosto de ajudar pessoas que eu tenho consideração e que sei do caráter e fico muito feliz em saber  que pude ser útil e que as pessoas retribuem a essa consideração. Vocês moram no meu coração já ^^


Hit-Girl


Para fechar o ano de 2017 com chave de ouro eu e minhas amigas realizamos um sonho cosplay nosso, que era  montar um grupo completo de Sailor Moon!
Esse é o tipo de grupo muito dificil de conseguir completo...mas não apenas eu mas todas as integrantes nos esforçamos, corremos, nos dedicamos e fizemos o nosso melhor e o resultado foi fantástico! Um grupo unido, um grupo formoso, um grupo bem feito! Usamos no Ressaca Friends, tendo um retorno mega positivo. fizemos fotos maravilhosas e já estamos marcando um ensaio para 2018! Porque não é apenas um grupo de cosplay: é um grupo de cosplay com as migas, o que o torna ainda melhor!


Sailor Moon - grupo


2017 para mim foi um bom ano mesmo. Um ano repleto de realizações, reconhecimento, pessoas incríveis e compensações fazendo aquilo que eu gosto. Agora é aguardar 2018, continuar fazendo as listas de projetos, focar neles e continuar me aperfeiçoando! Que 2018 seja um ano melhor do que 2017 foi, mas com tudo de bom quer 2017 teve.

Espero poder fazer um bom trabalho no Cultura Cosplay, no meu canal, nos meus projetos da vida (mal conclui o grupo de Sailor Moon, já tenho mais 2 grupos grandes para focar ano que vem, além de reunir novamente a tropa de Shingeki no Kyojin), os ensaios (tem ensaio pendente desse ano que está indo =p) e também os novos cosplays que quero fazer.


Julia - Cowboy Bebop



Ainda finalizei o ano passando a virada com amigos maravilhosos em clima de muita amizade, parceria, zoeira e tudo que há de bom! Obrigada á todos os lindos e lindas que estiveram comigo este ano, me animando, me apoiando e tornando esse ano que passou, um ano incrível!


Mas vamos que vamos, levando a vida e esperando para ver o que 2018 aguarda!


Mikasa Ackerman


Photos by:



~*~



segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Cosplay - RYUKO MATOI - Kill la Kill




Aqui, postarei as fotos do meu cosplay e também comentários que eu ache interessante registrar. Seja sobre o personagem, sobre como consegui meu cosplay, o retorno que me trouxe e o que mais eu considerar relevante.



O Personagem na Obra:

Ryuko Matoi é a protagonista do anime Kill la Kill. Ela tem uma personalidade  feroz, corajosa e teimosa. Não teme muito, demonstra grande determinação para encontrar  o assassino de seu pai,  o cientista Isshin Matoi e mantém sempre uma postura agressiva e desconfiada. Por conta de uma possibilidade, Ryuko vai até a academia Honnouji para enfrentar Satsuki Kiryuin. Ali, ela acaba não apenas enfrentando a poderosa Satsuki (sendo ignorada na verdade rs) como também faz amizades com a animada Mako Makoshoku
Matoi é compreensível com os amigos e violenta com os inimigos. Embora mantenha sempre uma postura dura e confiante (bem o tipo de garota badass) em determinados momentos ela deixa transparecer o seu lado gentil. Sua arma é uma grande metade de tesoura, uma invenção de seu pai para destruir as fibras de vida. Ao voltar para a cidade, Ryuko investiga a antiga casa em que morava (e onde seu pai foi misteriosamente assassinado e metade da tesoura que invetou foi roubada pelo assassino) ela encontra o uniforme Senketsu, um uniforme desenvolvido por seu pai com fibras de vida e que possui consciência e personalidade própria (embora só Ryuko consiga ouví-lo por conta da ligação de sangue que ambos fazem). Na hora da batalha, com a ajuda do sangue de Ryuko, Senketsu se transforma e transforma Ryuko em um traje extremamente ousado e apelativo mas que possui grande poder de combate. Embora Ryuko e Seneketsu discutam várias vezes ao longo do tempo ambos vão criando uma amizade forte.
Para encontrar respostas sobre a morte de seu pai, Ryuko toma Satsuki como uma grande inimiga, precisando derrotar diversos inimigos a fim de alcançar sua rival. Posteriormente ela e Satsuki fazem alianças e o alvo maior de vingança de Ryuko passa a ser Harime Nui e a poderosa Ragyo Kiryuin.



A Ryuko foi uma personagem que simpatizei logo de cara. Tanto pelo jeito dela quanto pela aparência. Sua personalidade estressada, agressiva mas ao mesmo tempo com um lado gentil e que se importa com os amigos, fez com que eu me identificasse com ela e logo ela se tornou uma das minhas personagens preferidas. De modo que não demorou muito para eu decidir fazer o cosplay e devo dizer que adorei o resultado e se tornou um dos cosplays que mais gosto de usar, tanto pela personagem em si (a qual, por eu gostar e me identificar, penso que obtenho maior facilidade para incorporar na hora das fotos) quanto pelo fato do cosplay ser super confortável de se usar.

A verdade é que esse cosplay se tornou muito especial para mim porque nele fiz um avanço sutil mas muito significativo: a Ryuko-chan foi o primeiro cosplay que fiz no qual mostrei minha barriga. Eu sempre tive receio disso mas a vontadce de fazer a Ryuko foi tanta que superei isso e fiz. Mas claro que para mostrar a barriga eu usei corset durante alguns meses para que na hora de mostrar ficasse acinturado XD.


Eu usei a Ryuko pela primeira vez em um photoshoot e foi nele que eu mostrei o cosplay pra galera, até então eu tinha mantido segredo, só revelando para amigos próximos. Posteriormente usei a Ryuko mais 2 vezes: uma em evento com dupla e outra em photsohtoot + evento (sim, duas coisas em ambos dias) em dupla também. E sempre foi muito legal, divertido e deu um retorno super bacana.

  A parte da tesoura foi confeccionado pela minha amiga Paula Goulart, que também foi minha primeira dupla de Kill la Kill. O acessório ficou perfeito e o melhor - super leve, sendo ótimo para carregar e manusear. Essa tesoura se tornou um dos meus xodós e um dia ainda quero pendurá-la na parede do quarto XD.




Eu conheci o anime Kill la Kill quando ele estava no auge, via muitas pessoas fazendo cosplay das personagens mas demorei um pouco para assistir. Quando o fiz, gostei do anime de imediato (ainda que alguns dissessem que o anime é do tipo ou você ama ou você odeia). É um anime louco sim, repleto de fanservice mas esse fanservice é usado de forma cômica, como que satirizando os próprios animes "echis". A roupa de batalha de Ryuko e Satsuki é tão absurda e tão despudorada que até mesmo as personagens admitem e se assustam com isso (a indignação de Ryuko na primeira vez que seu uniforme se transforma na "roupa de batalha" é muito engraçada).

 Ao longo da história vamos vendo as nuances de vários personagens e tudo muito representado pelo clichê presente nos animes mas de uma forma exagerada e satírica, o que torna Kill la Kill bem diferenciado. A ironia do anime está presente além das cenas de comédia: está constantemente nas entrelinhas e até mesmo faz alusões aos excessões da sociedade, principalmente na família de Mako (o episódio em que eles ficam ricos e começam a viver na ostentação é hilário e ao mesmo tempo reflexivo). Porém Kill la Kill não é um anime para se refletir, ele é para se divertir e cumpre muito bem esse papel.


Até o momento fiz duas duplas de Kill la Kill. A primeira de Ryuko e Harime Nui, com a Paula Goulart. Usamos em um evento (Ressaca Friends) e o resultado foi ótimo, com um retorno super legal, rendendo fotos maravilhosas.
O segundo foi de Ryuko e Satsuki, com minha amiga Vanessa Hime. Esse foi um cosplay que convenci ela a fazer para duplar comigo e o resultado ficou ótimo! Fizemos um ensaio em um lugar perfeito e depois ainda curtimos evento. É uma dupla de cosplay que já figura como uma de nossas melhores duplas e pretendemos usar novamente em evento.

Ainda tenho intenção de conseguir um grupinho de Kill la Kill algum dia e também uma amiga para fazer cosplay da Mako e duplar comigo. Espero conseguir! Afinal cosplay de Kill la Kill é uma delícia de usar e pode se fazer fotos maravilhosas.


  
Ryuko e Nui

  
Ryuko e Satsuki

Eu não tive grandes dificuldades com esse cosplay e ele foi um investimento que compensou em 100%. Quero poder usá-la outras vezes. e para quem tiver interesse em fazer a personagem, super recomendo! De certa forma, embora não seja necessariamente uma personagem sexy, a Ryuko foi meu primeiro cosplay um pouco mais "saliente" (hehehhe) e até arrisquei fazer umas fotinhos sutilmente mais ousadas dela em casa. Quem sabe mais pra frente eu acabe fazendo um photoshoot em estúdio e em dupla com um toque bem sensual? Algo de Ryuko e Satsuki talvez...

Mas não tenho coragem de fazer cosplay dela na versão de batalha. Admiro muito quem consegue porque precisa ter mesmo muita coragem. Vou ficar mesmo com a versão clássica dela que também é uma roupa que eu acho uma graça. Inclusive lembro quando minha mãe viu esse cosplay (pouco depois de ela falar para eu parar um pouco de gastar com cosplay) e ficou encantada pela roupa, querendo que eu a usasse logo. (ah essas mães...)




Enfim a Ryuko foi um cosplay que adorei fazer e no qual acredito que consegui obter um resultado bacaninha e uma personagem que representa bem minha personalidade.
Ao longo desse post, selecionei algumas fotos dos ensaios que fiz com ela e é dificil decidir qual mais gostei, porque todos ficaram maravilhosos! Mas ainda quero fazer mais uns dois ensaios com esse cosplay, se possível XD.




Photos by:
Roger William Fotografia
Duda Alves Fotografia
Cosplay Mages



~*~

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Stranger Things É Demais (de novo!)




E para ilustrar a chegada do Halloween, a saudosa Netflix lançou a 2ª temporada de Stranger Things.
A série, que surgiu de forma modesta como mais uma das obras da Netflix, rapidamente se tornou um sucesso mundial, atraindo uma legião de fãs e se tornando um grande sucesso da crítica.

Como um dos lançamentos mais aguardados do ano, a segunda temporada de Stranger Things não decepciona, pelo contrário. Além de manter o mesmo nível de qualidade de roteiro da temporada anterior, traz de volta toda a interação fantástica do elenco,  aprofundando o amadurecimento de diversos personagens a ponto de nos fazer gostar ainda mais deles, um perigo ainda maior surgindo, cenas de humor e lógico as referências da década de 80. Aliás..essa temporada está lotada de referências, inclusive referências á outras obras!

A equipe de marketing fez uma excelente divulgação desde o princípio. Além de enaltecer o carisma das crianças e a simpatia dos adultos que fazem parte do elenco, os pôsters oficiais da nova temporada mantiveram a tradição anterior: são todos baseados em pôsters de filmes famosos da época. Temos pôsters baseados em Tubarão, Alien, Gonnies, etc. Houve ainda trailers promocionais com a participação de artistas famosos: se no ano passado tivemos um comercial hilário de Stranger Things com a apresentadora Xuxa, para a segunda temporada tivemos um comercial hilário com Maria Antoniete de Las Nieves, ( a Chiquinha do Chaves). Isso sem falar de toda a divulgação na internet e principalmente nas redes sociais, onde o fandoom também contribuiu para manter ativa a empolgação para a nova temporada (memes, altos memes!)


Ah, as referências...

  Stranger Things se consagrou, já na segunda temporada, como uma das melhores e mais lucrativas séries da atualidade justamente por sua originalidade e qualidade. A segunda temporada veio para manter isso e consegue. O enredo se torna um pouco mais dramático e sombrio do que a primeira temporada, o que se faz necessário principalmente para explicar diversos acontecimentos da temporada anterior e suas consequências nessa nova.

  A nova temporada conta com 9 episódios, que passam tão rápido que você nem percebe (mesma coisa que acontece na primeira temporada) te deixando ansiosa por mais. Só que você vai ter que esperar. E não adianta tentar assistir tudo devagar, não vai conseguir. Você vai maratonar, é incontrolável.
  Ainda mais porque nessa nova temporada também são apresentados novos personagens incríveis que tornam a história ainda mais abrangente e (no caso de uma em especial) abre a possibilidade de novos enredos para temporadas seguintes. Foi uma deliciosa surpresa termos Sean Astin no elenco (uma vez Sam, sempre Sam!).

  Aliás essa temporada procura focar em alguns personagens que na temporada anterior estiveram mais como coadjuvantes, enquanto personagens que antes pareciam mais protagonistas, se tornaram coadjuvantes nessa temporada. Não que eles tenham sumido, mas seu tempo em tela e papel na trama se tornaram menores para permitir que outros personagens pudessem se destacar. E isso foi algo excelente que não apenas criou um maior dinamismo na história, mas que desenvolve nosso grau de afeiçoamento (seja nos surpreendendo com alguns personagens e nos afeiçoando ainda mais a outros) e revela o potencial do elenco.



Personagens novos. Se atente neles. 


  O maior destaque nessa temporada sem dúvidas foi o Will ( Noah Schnapp). Após seu retorno do mundo invertido, o garoto continua a ser assombrado pelo que quer que exista lá. E a atuação de Noah é simplesmente fantástica e surpreendente para uma pessoa tão jovem. Ele consegue transmitir todo o medo, solidão, desespero e tristeza que o personagem carrega, fora os momentos dos ataques que seu personagem sofre. Sem dúvida o garoto se saiu melhor do que muito ator adulto e vencedor do Oscar que vemos ultimamente.

  Em questão de personagem, o maior desenvolvimento ficou - surpreendentemente - para Steve. O personagem que na primeira temporada não agradou ao público, que foi babaca na maior parte do tempo e que até "prejudicou" o shipp dos fãs (rs) nessa temporada se revelou um personagem incrível, de coragem, caráter e simpatia. Rapidamente caiu no agrado do público, com seu amadurecimento e bom desenvolvimento. Ele agora é, junto com os outros, um dos queridinhos dos fãs. E realmente, ele está muito legal nessa temporada! #teamSteve

E claro que não podemos esquecer a Eleven que volta ainda mais poderosa e carismática. Essa temporada nos presenteia com mais informações sobre seus poderes e que ela não é a única (opa, os spoilers param aqui). Sua interação com o xerife Hopper é fantástica e ficamos todo o tempo naquela ansiedade de seu reencontro com Mike (que é emocionante, posso garantir).


Noah foi o destaque em atuação nessa temporada.
 Pensa em um garoto talentoso

O troféu de melhor personagem da temporada vai para....Steve!


As cenas de ação estão fantásticas e a interação das crianças idem. Como é possível esses pimpolhos serem tão fofos, carismáticos e divertidos?  É dificil eleger um preferido, cada um é o melhor do seu jeito. E ainda tem criaturas de outro mundo, um grande mal se aproximando (e bota grande nisso!), cenas de humor hilárias (eu ri muito com o Lucas abrindo a porta com um chute voador), aquele drama que nos faz se afeiçoar ainda mais aos personagens, reviravoltas e explicações de coisas que nos deixam intrigadas, mas colocando ainda mais mistérios para serem revelados e explorados.

Mais do que recomendado, Stranger Things é uma série que precisa ser vista e compartilhada. Não é saudosismo ou moda..a série é boa mesmo! O tipo de história que agrada aos mais diversos públicos e faixas etárias. Sem dúvidas uma das melhores criações da Netflix.

E depois de ver e rever a segunda temporada resta aguardar a próxima na ansiedade de sempre.





~*~