sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Nostalgia da Interwebs - parte 2





E estamos aqui para conectar-se á net com nosso Discador do Ig depois da meia-noite para mais um post nostálgico dos anos vindouros da interwebs. Então bora esperar todo mundo na casa dormir para o único pc ser totalmente seu curtir as melhores coisas da internet! aAfinal, a diversão começou e a terra é de ninguém.
Se não viu a primeira parte, confira AQUI.



BLOGS - Ah, Maravilhosa Blogosfera!

Chegamos aqui a parte que eu mais gostava da internet nessa época: os blogs!
Os blogs surgiram como uma opção excelente pra galera ter sua página na internet sem aquela trabalheira e demora para se criar um site, com a vantagem que os visitantes poderiam fazer comentários diretamente nas postagens.  Os principais sites de hospedagem eram gratuitos sendo o Blig, Weblogger e o VilaBol como um dos primeiros. Mas foi o Blogger (Blogspot) que acabou se consolidando e sendo o mais popular (o Wordpress surgiu na mesma época mas por ser mais limitado no quesito personalização de templates, era menos usado) e permitindo uma variedade imensa de blogs sobre os mais variados temas.
Numa época em que assistir vídeos era raro por conta da velocidade da internet, isso de Youtuber não existia e a  galera se expressava e criava conteúdo através da boa e velha escrita. E obtinham informações através da prática da leitura. E os blogs eram perfeitos para isso.

Além de manter um certo padrão estrutural, permitindo que tudo ficasse mais fácil para se mexer. Vinha com modelos templates prontos que poderiam ser alterados em algumas partes e tendo várias opções de coisas a serem inseridas nos "menus". E como seguia um certo padrão de layout havia alguns blogs exclusivos que a galera fazia templates de tudo que era tema e disponibilizava pra download gratuito pra galera usar. (eu digo, antigamente o povo era muito prestativo).


Era sempre empolgante logar para começar a escrever sobre o que queria e responder aos comentários

O Blig foi um dos primeiros espaços pra se ter um blog lã por 2001. Já os blogs de meados de 2010 já tinham muito mais recursos.


Para quem manjava de código HTML e CSS poderia fazer alterações diretos nessa parte do blog e isso permitia novas disposições das coisas. E mesmo se você pegasse um template pronto (tinha vários sites que as pessoas faziam inúmeros templates temáticos, os mais conhecidos aqui eram o Templates by Marinas e o Bruno Maximus), poderia ir alterando cores e inserindo ou tirando funções. Quem tinha um blog, não se importava de passar horas e horas arrumando ele a fim de deixar exatamente do jeito e com o que queria.
E claro que muitas vezes a galera exagerava no tanto de tranqueira e quinquilharia de aplicativos que colocava nos blogs. Principalmente as adolescentes. Então não era raro você entrar em um blog todo repleto de efeitos como cursor do mouse em forma de bichinho, cascata brilhando caindo na tela, trocentos gifs animados no menu, selinhos, tradutor, relógio (por quê diabos colocar um relógio no blog?) enfim..o que tivesse pra colocar, a pessoa colocava. E o resultado era que o blog demorava pacas para carregar.

Inicialmente (lá pra meados de 2003), os blogs surgiram como Diários Virtuais e os adolescentes adoravam fazer seus blogs. Era a época que boa parte era ou popularzinho, ou patty, ou otaku ou gótico. Então era fácil encontrar vários blogs do tipo na qual o/a jovem falava sobre seu dia á dia e compartilhava coisas que gostava. Muitas amizades entre blogueiros eram feitas assim e você media o alcance do seu blog através da quantidade de comentários que havia na sua postagem.



Sim, eu tinha um blog de variedades, o Empadinha Frita que
me foi muito especial.


Em meados de 2005 até 2013 os blogs tiveram o seu auge e se tornaram ainda mais diversificados. A galera começou a ter mais discernimento na hora de usar os gadgets pra não sobrecarregar e havia blogs de resenhas de livros ou filmes, blogs diários, blogs de maquiagem, de games, filmes, artesanato, política, esporte, moda, animes enfim, de tudo. Havia também blogs que falavam sobre diversos assuntos e a galera da blogosfera era unida, trocavam comentários sempre, se divulgavam, faziam parcerias...
Eu tive vários blogs ao longo da primeira década de 2000 e estou na blogosfera até hoje. Conheci muita gente que tenho contato até hoje. Então posso dizer que acompanhei toda essa trajetória evolutiva da blogosfera e a importância que ela teve para toda uma geração e também para a internet. O auge foi por volta de 20008 até 2013. Decaiu com o surgimento do Facebook e uma preferência das pessoas por lerem menos e falar mais. Muitos blogs bacanas deixaram de existir, outros ainda se mantém da melhor forma que podem e ainda é possível encontrar vários antigos abandonados na internet.


Joguinhos e mais Joguinhos

A geração que foi criança nessa época lembra muito bem o imenso sucesso que os sites de joguinhos em flash faziam. Tudo que era site voltado ao público infantil (de canais como o Cartoon Network á marcas de brinquedos como Barbie) tinham seus sites (ter site era um tremendo atrativo) com joguinhos pra molecada passar o tempo. Um dos mais famosos e lembrados é o Neopets, mas havia joguinho de tudo que era tipo. Era o auge das animações em Flash, então geral pirava nos vídeos hilários do Mundo Canibal e do Charges também.




Aliás, uma das coisas mais legais pra se ficar fazendo no pc na época (principalmente quando não se podia acessar a internet por conta do custo da mesma) era, além de desenhar no Paint (pff hehe) baixar joguinhos para passar o tempo. E um dos melhores lugares para conseguir tudo que é tipo de joguinho (lembro de um que chamava Mate os Frangos que eu e minha irmã adorávamos) era o site do Baixaki que tinha além disso uma infinidade de programas que você baixava porque era de graça. Aliás, nesse tempo quase tudo era de graça, boa época...
Além de sites como Baixaki, você podia garimpar bastante e ter muita paciência (e sorte) pra conseguir baixar jogos de outras plataformas (jogos de Super Nintendo, de Game Boy e até mesmo Playstation). E durante esse processo era preciso ir baixando por partes e lutar com os mais diversos tipos de vírus que costumavam vir junto.
Havia ainda, a opção de comprar as revistas do jornaleiro que vinham com cd-rom repleto de jogos. Tinha jogo de tudo que é tipo, desde jogos simples que rodavam direto no pc até jogos completos de Playstation que você instalava.


 
Cd-Rom com mais de 300 jogos? Mais perfeito impossível XD




Lan-House virou Segunda Casa

Com o surgimento de jogos multiplayer online, eram poucos os que tinham em casa um computador e uma internet com velocidade e qualidade suficiente para suportar os jogos que foram surgindo. Fora que muitas pessoas precisavam utilizar a internet/computador e não tinham em casa ou era algo que precisava ser feito em determinado momento e a pessoa não estava em casa, era necessário imprimir algo enfim, infinitas razões.
E com o crescimento de gente querendo estar conectado á internet, as Lan-Houses surgiram e em pouco tempo foram tomando mais e mais espaço ao ponto que se tornou tão popular que qualquer buraco, alguns computadores, uma conexão de internet estável e pronto, já se montava uma Lan House. Aos poucos elas foram se aperfeiçoando, os computadores eram em rede, você tinha que ter um cadastro, pagava sempre para ficar mais tempo porque afinal, o tempo que você tinha pago não era o suficiente e precisava ficar mais pra fazer tudo.
Lá pelos anos 2005, Lan-House ficou igual boteco: toda esquina tinha uma.



Embora fosse frequentada por todo tipo de gente, quem monopolizava as lan-houses era mesmo a molecada/adolescentes ávidos por horas de internação no orkut e no MSN e principalmente pra jogar e xingar á vontade nos games online.
Valia tudo pra ficar horas na lan-house: economizar mesada, ficar o sábado inteiro lá dentro, cabular aula, ir no intervalo do trampo, passar a noite no "Corujão" que algumas lans faziam (isso mesmo, virar noite e madrugada: porque baladinha era para os fracos). Muitas vezes as pessoas acessavam o orkut pelo pc da lan e esqueciam de fechá-lo e aí vinha de sua consciência se saia para conectar o seu ou se aproveitava para sondar o orkut alheio e descobrir os segredos do desconhecido.
Mas o que bombava mesmo era a jogatina: GTA, Ragnarok, Diablo II, Grande Chase e os vícios pesados que rolava altas competições e xingamentos: World of Warcraft e Counter-Strike.

Nem era preciso dizer que os computadores das lan-houses em muitos casos viviam em condições precárias. Vírus, teclados imundos, cadeiras desconfortáveis, sujeira de salgadinho e chocolate pra tudo que era lado, computadores encardidos....mas era melhor do que nada. 


Tudo que era buraco dava pra montar uma lan-house na qual todo mundo virava o trollzão


 
Geral jogava online




Megaupload, Primeiro Torrent e Muitos Vírus por um Filme

Como na postagem anterior havia mencionado os programas pra download de música, com o avanço da internet pela banda larga, começaram a surgir condições melhores para baixar coisas mais ousadas. Isso mesmo, estou falando de episódios de anime e, principalmente, filmes!
O maior problema eram os vírus. Na época, os antivírus não eram tão eficazes então cada novo arquivo baixado era o receio de abrir e se deparar com uma surpresa desagradável. Mas nada disso impedia que continuássemos tentando.
O Torrent teve sua primeira versão lá por 2003 e ele vinha com muito, mas muitos vírus. Baixar algo ali com sucesso era uma verdadeira e arriscada aventura para o seu pc. Mas valia o risco, ainda mais na época que as locadoras começaram a deixar de existir e plataformas de filmes era um sonho inexistente.
Além dele, quem preferia tentar baixar filmes por uma via mais segura, havia os sites de hospedagem de arquivos. Hoje em dia temos vários sites desse tipo, com suas capacidades de armazenamento e download de modo grátis ou pago. Mas nos meados de 2004, a situação era diferente. Havia muitos sites e blogs de download mas o que eles faziam era simplesmente pegar um link de um mesmo "host' e postar. Ou seja: se porventura aquele link saísse do ar, todos os links de outros sites para aquele filme que estava lá, ficavam inativos.  E ai vinha a raiva pra ficar horas e horas procurando na net, entrando em site atrás de site, se deparando com pop-ups de propaganda e sites pornôs antes de conseguir achar um site cujo link funcionasse.


Felicidade de abrir essas páginas e ver que o arquivo estava lá para baixar

 Aliás, naquela época direcionadores não existiam. Você não tinha que ficar clique atrás de clique até conseguir a página onde o arquivo estava, então era bem mais rápido.  Um dos primeiros sites desse tipo a surgir foi o Rapidashare. Mas o que bombou mesmo foi o Megaupload. Ah, nessa época era maravilhoso upar e baixar os filmes, tudo prático e eficaz. Dava pra baixar mais de um arquivo por vez e tudo ia bem...até o FBI prender o dono do Megaupload. Na época isso causou uma imensa revolta em toda a internet e juramos que mesmo o prendendo isso não iria parar. E não parou: só aumentou com o passar dos anos.
Embora não precisasse enfrentar inúmeros sites de propagandas duvidosas e descobrir qual "Link" realmente era o link de destino para o arquivo, tinhámos que provar que não éramos um robô digitando corretamente os caracteres na caixinha do captcha. Algumas vezes era quase impossível e aí precisava continuar tentando até conseguir.

Esse ainda era fácil, alguns eram impossíveis de decifrar



FOTOLOGS - O Passado de uma Geração

Muitos podem negar, mas a verdade é que todo mundo que vivenciou essa década da internet teve um flog ou acompanhava flogs. Quando eles surgiram, por volta de 2002 (atingindo seu ápice por volta de 2007/2009 ) rapidamente se tornaram uma febre. Numa época em que fotos eram novidade, todo mundo queria fotografar e compartilhar.  Mas celular com câmera de qualidade era algo raríssimo, inexistente. Os celulares com câmeras possuíam uma qualidade bem baixa então como a galera se virava? Isso mesmo, com as câmeras digitais! \o/
As câmeras digitais eram a inovação da época: você podia tirar as fotos sem precisar revelar então para conseguir jogar no computador era muito mais fácil por conta do cabo USB (outra novidade na época, juntamente com os pendrives). As camerazinhas digitais rapidamente se tornaram sonho de consumo de geral  na adolescência e tudo que é rolê pessoal levava para registrar os momentos. E em casa se tornaram objeto constante para fotografar qualquer coisa. E o sonho de consumo de geral não era a TekPix e sim a Cybershot da Sony.




Com blogs sendo algo mais focado em conteúdo (e muitos diziam que era mais trabalhoso para se manter e tal) e o orkut na época tendo uma limitação de quantidade de fotos para postar no álbum, o Fotolog rapidamente se tornou o lugar perfeito para o pessoal postar as fotos. Assim, em pouco tempo o Fotolog se tornou uma febre mundial e um dos sites mais acessados no mundo na época. Para criar um era super fácil e por ter um padrão fixo de layout, era muito simples de usar. As plataformas de Flogs mais conhecidas eram o Fotolog.Net, o Flogbrasil e o Flogão. O sistema de layout e funcionamento de ambos era praticamente igual.
Dentre as grandes novidades que o Flog oferecia aos usuários estava: capacidade de postar 1 foto por dia (sim, isso mesmo) acompanhada de uma descrição e um título. E os comentários eram permitidos: 15 por postagem. Se queria mais vantagens, havia opção de planos pagos.
Nem é preciso dizer que o flog se tornou rapidamente uma das plataformas mais usadas e a antepassada do Instagram, desenvolvendo na geração um cultivo a própria imagem e necessidade de registrar o dia á dia.
Quem viveu a era dos fotologs lembra que as famosinhas não eram garotas-fitness e sim as garotas emos de cabelos coloridos. Aliás, geral nessa época era ou emo, ou pseudo gótico, ou otaku ou sem definição mesmo. Geral já fazia selfie antes desse termo existir.



Tipos de fotologs padrão adolescente diferenciado


Fotolog pra essa galerinha adolescente é o que o Instagram é para as meninas obcecadas por likes no Insta hoje. Inclusive, foi através dos Fotologs que surgiram as primeiras webcelebridades (quem é das antigas lembra do sucesso da MariMoon e como as meninas queriam ter o cabelo colorido dela). Galera do estilo emo e cabelo colorido ditavam moda entre os adolescentes que tentavam conseguir deixar um comentário antes que as 15 "vagas" de comentários fosse preenchida. E você acha que a galera postava fotos profissas como as de hoje no Insta? Isso nem existia na época! Galera usavas as próprias camerazinhas digitais que falei acima,  procurando os melhores ângulos ou pedindo pra outra pessoa tirar. A qualidade das fotos era bem baixa se comparada com a qualidade das fotos de hoje, mas na época era o auge.
Claro que, com o surgimento do não limite de fotos para os álbuns do Orkut,  Facebook e posteriormente o Instagram, os Fotologs deixaram de existir e ficaram ultrapassados e a galera migrou para as novas plataformas. Mas, em meados de 2015 por aí, os flogs se reativaram pra galera salvar suas antigas fotos e comentários.
E muita gente ficou em choque com o próprio passado (afinal o que era estiloso na sua época é vergonhoso na sua vida adulta - como a moda Restart) tratando de querer apagá-lo o mais depressa possível. Mas em 2015, os flogs realmente deixaram de existir ficando apenas na lembrança de quem fez parte dessa época.


Eu OdEiU GeNTi ki IsKreVi AxIM - O Maldito MIGUXÊS

Foi nos anos 2000, com o auge da moda Emo, que surgiu um dialeto na internet muito usado pelos jovens e que rapidamente ganhou o nome de miguxês.  Esse tipo de escrita continham uma mistura de  palavras escritas de forma errada propositalmente (ou ás vezes não), alteração de maiúscula e minúscula, uso de caracteres e um jeito de se referir aos outros de uma forma que parecia infantilizada. Daí você pergunta: por que carralhas isso? A resposta é: ninguém sabe.
Alguém teve a ideia, um monte de gurizada aderiu e o resultado foi textos e mais textos praticamente indecifráveis e quando decifrados...bem, era conversa de adolescente mesmo (mas não conversa de adolescente com algum conteúdo).


Não dá uma vontade de encher de soco quem se comunicava assim?


De certa forma, foi nesse período que muito se falava dos vícios de escrita causados pela internet que estavam deixando (e ainda deixam) os professores de cabelos em pé. Por conta da omissão de letras na palavra, a escrita no miguxês e coisas do tipo, o pessoal estava consumido pelo hábito de conversar pela internet e consequentemente escrevendo errado em ocasiões em que isso não deveria ser feito.
Por sorte, essa modinha não demorou para logo cair em desuso. Provavelmente porque seus utilizadores foram crescendo e vendo que não fazia sentido se comunicar dessa forma que quase ninguém entendia ou que era preciso levar mais tempo pra escrever e entender a resposta.



ORKUT - Um legado


E para finalizar essa viagem nostálgica, claro que ele: a rede social que revolucionou o conceito de redes sociais e se tornou a rede social na qual o brasileiro dominou por completo.
O Orkut surgiu em 2004 e para participar dela você precisava receber um convite por e-mail de alguém que já tinha um para então poder fazer o seu.
Para quem não chegou a conhecer, o Orkut se assemelhava ao facebook mas com muito menos recursos. (mas também com coisas que o Facebook nunca teve). Ele rapidamente se tornou a plataforma crucial pra todos os internautas: todo mundo tinha o seu Orkut e passava horas nele.
Quando começou, o orkut era bem básico: você tinha seu perfil, onde poderia fazer uma bio de apresentação do jeito que achasse melhor (valia de tudo: lista de coisas que gostava, textão com letras diferentes, letra de música, caracteres arrumados de forma a mostrar uma imagem muitos erros de português e por aí vai. Você tinha os amigos adicionados e conversava com eles através dos Scraps.



Confesse: você roubava as coisas do seu amigo no Colheita Feliz




O orkut ainda tinha uma opção onde as pessoas podiam te classificar, o quanto você era confiável, legal e sexy. E você podia ter fãs também XD (ás vezes os amigos até criavam uma comunidade pra você, apenas se você fosse popular). Mas o mais interessante do orkut era que ele mostrava quantas pessoas visitavam seu perfil e quem o visitava! Ficar stalkeando em segredo não era fácil.
Os scraps eram o "mural de recados" a pessoa deixava mensagem para você onde todos poderiam ver (o máximo que você conseguia fazer era deixar só pra Amigo). Assim, muita gente colocava na página de recados o clássico aviso do: Scraps - Leio, Respondo e Apago. Isso era útil se você não queria o que os outros soubessem o que ou com quem você conversava, mas tinha gente que deixava os scraps e não ligava.
A plataforma tinha um email integrado, mas nele havia tanto spam e notificação das comunidades que você seguia, que nem dava para usar. Assim, quando alguém precisava deixar um recado importante e sério, a pessoa recorria ao DEPOIMENTOS.
Vale ressaltar aqui o grande marco que foi essa opção. A função dela era para que amigos fizessem depoimentos fofos e melosos para você. Você aprovava o que foi enviado e isso aparecia no seu perfil. Quanto mais depoimentos você tinha, mais se sentia. XD
Mas os depoimentos também eram usados para deixar recados importantes que deveriam ser mantidos em segredo.Mas claro que tinha muito amigo/amiga cuzão que resolvia explanar pra aparecer no site do Tolices do Orkut.

Pô, não era pra aceitar esse depo!

Se você acha que as pessoas no Facebook perderam a noção, é porque nunca vivenciaram o Orkut. Noção não existia ali, geral era muito confuso com toda essa tecnologia de interação social via web que agiam de uma forma no mínimo hilária. O site Tolices do Orkut reunia diariamente vários compilados do tipo, que iam desde brigas de traição em scraps, até depoimentos comprometedores (vide acima), até brigas e revelações em fotos.
Talvez tenha sido por isso que logo o Orkut passou a ter a opção de chat. Ai ficava muito mais fácil para você poder conversar e não se comprometer tanto publicamente.
Com relação á fotos, inicialmente o orkut tinha uma limitação de quantidade de fotos (apenas 12!) mas logo isso mudou e a galera podia postar quantas fotos em quantos álbuns quiser. Não demorou muito para o orkut ter opção de personalizar cor de fundo no perfil, controle de privacidade etc. E tinha também joguinhos e o mais lembrado é o Colheita Feliz.

Entretanto, o mais memorável e legal do orkut eram as COMUNIDADES. Elas eram tipo fórum de discussão e tinha comunidade de udo que é tipo e de tudo que é tema que você pode imaginar (e ate o que você sequer imaginava). Cada usuário poderia criar quantas comunidades quisesse, então já sabe pode imaginar...
A criatividade do brasileiro não tinha limites e o mais divertido no orkut era você ir adicionando no seu perfil as comunidades daquilo que gostava, ou achava divertido/interessante. E isso também servia pras pessoas saberem mais sobre seus gostos ao visitarem seu perfil. Eu realmente poderia ficar horas aqui fazendo uma lista gigantesca de várias comunidades sensacionais



 

 

Nunca será possível saber quantas comunidades chegaram a existir no orkut. Mas existiam sobre tudo


Com uma rápida busca na internet você ainda pode encontrar links com algumas listas de comunidades criativas. Apesar das de humor e bizarrices criativas (ou reflexivas e existencialistas dependendo do ponto de vista, rs) serem as mais abundantes, havia também diversas comunidades de artistas (feitos por fãs), animes, personagens de anime (rolava altas tretas lá nas comunidades de Naruto), filmes, etc. E havia ainda comunidades focadas em cenas urbanas (saudades Góticos no Brasil onde fiz várias amizades na época pros rolês), em discografias (onde você conseguia descolar links pra download dos cds das suas bandas preferidas - lembro até da vez que achei um monte de link pra download de músicas punk na comunidade Punk Oi!).
Havia ainda as comunidades de cinema/filmes, onde o pessoal debatia sobre a obra e surgia uma troca de ideias bem interessante.
Isso sem falar nas comunidades mais focadas em determinado tema científico ou histórico. Até em algumas de determinados animes rolava coisas interessantes. As de humor eram mais focadas em zoeira mesmo e spam, mas as outras até rolava conteúdo informativo de qualidade.
E tinha também aquelas de eventos, no qual organizadores e frequentadores trocavam ideias ou galera marcava de se encontrar. Aliás, uma coisa bem legal que surgiu com o orkut foram os OTAKONTROS. Galera de comunidades que combinavam de se encontrar em algum lugar ou evento pra se conhecer pessoalmente.


Uma dúvida que precisa ser sanada   
                                            

O orkut se tornou tão popular que o Brasil realmente dominou a plataforma. Com a invasão brazuca, os gringos simplesmente sumiram da plataforma (fugindo para o My Space e outros) e o orkut realmente virou território de brasileiro. Isso mesmo saiu em matérias na mídia, o orkut se tornou o site mais acessado e até mesmo o turco criador do Orkut veio visitar o Brasil (na web ainda dá pra encontrar fotos dele dessas "férias").
Como a plataforma surgiu em uma época que Crimes Virtuais não era considerado de fato um crime, o orkut era muito "terra de ninguém". Tanto é que não foram as vezes que o site saiu na grande mídia por conta de comunidades cujos frequentadores postavam conteúdo criminoso e acabavam demorando mais para serem punidos (isso quando o eram). Na verdade, na época, se você fazia um perfil do orkut se passando por outra pessoa, corria o risco de ser indiciado por falsidade ideológica (então até galera de perfil fake de personagem de anime ficava com um pé atrás rs).

A erado orkut chegou ao fim junto com a adolescência da geração que o consagrou. Com o surgimento do facebook, o orkut foi perdendo espaço e o avanço da internet de alta velocidade, surgimento de outras plataformas acabaram que o orkut se tornou ultrapassado mesmo nas ultimas tentativas de tentar acompanhar a evolução das mídias sociais. Então, em 2014, o o Orkut acabou por falecer. Ele até tentou, em 2016, ressurgir, mas com a galera já fixada em Facebook, Instagram e Youtube, ele não teve chances. E assim, acabou-se aquela rede social gringa que os brasileiros tomaram para si.




E chegamos ao final dessa navegação nostálgica pela internet 2000. Engraçado que, para quem vivenciou essa década, parece que foi á pouco tempo, sendo que na verdade ela começou há quase 20 anos e há quase 10 anos que passou.
Hoje em dia muita coisa mudou e vai continuar mudando mas é inegável que aquela época era muito mais divertida por ser tudo novidade.
Quero agradecer imensamente há todos que contribuíram com esses dois artigos



~*~

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Nostalgia da Interwebs - parte 1





Que os anos 1998 até 2010 foram os anos áureos da internet, não temos dúvidas.
As coisas eram muito diferentes do que é agora. Não havia a facilidade que temos hoje, a velocidade que temos hoje, as redes sociais que temos hoje e os celulares que temos hoje.
Tudo era muito mais limitado mas achávamos maravilhoso.

Ah, só quem viveu sabe!
E exatamente por isso, eu resolvi fazer uma listagem aqui de algumas coisas memoráveis dessa época, onde a internet era um campo vasto e novo, com coisas obsoletas hoje mas que na época eram o auge da tecnologia cibernética.
Como o artigo ficou bem grande, vou dividi-lo em partes então, nobre nostálgico(a) então se prepare, tire as capas de plástico do seu pc branco encardido e bora acessar seu Windows 98 ou Windows XP  (porque ninguém gostava do Windows 2000) para curtir da apresentação maravilhosa em Flash desse túnel do tempo.


DISCADOR




Você ai que reclama da velocidade da sua internet é porque nunca teve de viver a Internet Discada.
Naquela época era preciso de Discador aí pra conseguir acessar e não era sempre que se conseguia. Mesmo com o surgimento da louvada Banda Larga, os discadores ainda eram necessários.
Como era relacionado á linha telefônica, todo mundo tomou bronca por ter ficado tempo demais na net e assim não apenas impedindo que os outros pudessem usar o telefone (que ficava ocupado) mas aumentando o valor da conta.
 Sites e blogs cheios de frescura demoravam pra carregar (e a mesma galera que demorava da lentidão era a mesma que atulhava seus blogs de coisa pra demorar o carregamento), baixar uma música? Vixe, se prepare pra baixar durante horas por um mísero MP3.
Vídeos? Uma tecnologia raramente usada, o máximo eram animações em flash. Até imagem dependendo do tamanho, abria por partes. Não era fácil viver com internet discada



o barulho inesquecível da conexão


MSN - Messenger

Já vou começar com esse aqui que era um programa INDISPENSÁVEL á todo mundo que curtia ficar na internet e conversar com o povo. MSN era o máximo de interação virtual nesses anos vindouros. Adicionar geral, criar aquele nick com letras diferenciadas, emoticons, postar uma frase ao lado do nick como uma indireta pro crush ou pro amigo ou uma frase de música era algo recorrente. Tinha gente do colégio, da facul, amigo conhecido pela net... e com as atualizações do programa você podia ativar o que estava ouvindo para aparecer embaixo do seu nick e até mesmo jogar um dos games que o programa tinha, com um amigo. Além da opção de aparecer Online, Offline, Ocupado, etc.
Através do MSN você podia também enviar aquela MP3 daquela banda alternativa pro seu amigo, mesmo que o arquivo demorasse horas pra baixar.
Para quem possuía uma webcan (auge da época) e uma boa conexão, era possível fazer as chamadas de vídeo. E por falar em chamada, o MSN tinha um recurso que, se a pessoa não estava te dando atenção, você podia usar o botão "Chamar Atenção" (isso mesmo) que fazia a tela do outro tremer e emitir um som alto.E toda vez que alguém entrava, surgia uma janelinha no canto do seu pc dizendo "Fulano acabou de entrar" (se fosse o crush ou a cremosa, coração até palpitava).
O MSN foi, sem dúvidas, um dos aplicativos de troca de mensagens mais populares e queridos. Ah, quem viveu sabe.



Ostentação era ter um msn cheio de contatinhos assim


Antes do MSN, porém, um outro aplicativo de troca de mensagens foi muito popular: o ICQ.
Diferente do MSN no qual você entrava com seu endereço de e-mail do Hotmail, o ICQ era através de um número como se fosse um telefone. Ele era bem limitado mas tinha o inconfundível barulhinho do "Ho-Oh" quando você recebia uma mensagem.




E-Mails e Sites de Busca

Antigamente, as pessoas escreviam e-mails pra trocar ideais e passar arquivos. Não era como hoje em dia que tudo pode ser feito pelo WhatsApp. E havia trocentos sites que ofereciam serviços de email grátis. Bol, Uol, Globo, Ig, Hotmail, Zipmail. Inclusive, até hoje eu tenho meu e-mail do Bol :v . Queria enviar uma foto pro crush/cremosa que conheceu no Bate-Papo do Uol enquanto buscava o amor Verdadeiro? Tinha que mandar a foto por e-mail. E pra conseguir fazer isso em uma época que câmera digital era raro, tinha que pegar aquela foto antiga, passar no scanner e enviar como Arquivo em Anexo.
No e-mail é que você também recebia aquelas mensagens motivacionais em PowerPoint que sua tia repassava pra família inteira ou receber supostos arquivos em vídeo que muitas vezes se revelavam vírus (e você não tinha um anti virus muito eficaz).

Se hoje o Google é o Deus Onipresente e Onisciente da internet, no passado não era assim. Entre os buscadores mais usados estavam o Yahoo e um tal de C@de.
Tinha trabalho da escola pra fazer? Se o professor liberava pra poder usar a internet, lá ia fazer pesquisa nos sites jurássicos com um monte de conteúdo pra copiar, jogar no Word, mudar algumas coisas, fazer a capa em WordArt e imprimir.


 


Sites para se Passar Horas

Havia vários sites nacionais para se passar o tempo e geral conferia toda semana as novidades (porque devido á net discada, só se podia acessar a internet aos fins de semana ou quando a família saía e o computador ficava sem supervisão). Vídeos? Não existia isso na época, o máximo que você assistia era as animações em Flash do Mundo Canibal (Havaiana de Pau!), do Charges.com, Tobby Entrevista e por ai vai.
O uso de imagens nos sites era mais limitado principalmente por conta do tempo de carregamento então os portais de notícias mais pareciam um jornal de classificados (na real, nessa época as pessoas liam muito mais do que hoje).
Muitos sites faziam sucesso, como o Assustador.com, o Jovem Nerd (com suas memoráveis e hilárias Versões Resumidas de filmes), além dos sites feitos de fãs para fãs. Alguns com bastante conteúdo chegavam a serem bem populares (era o "boom" dos animes no Brasil na tv aberta, então imaginem...)



  


Adendo para esse site que todas as meninas adoravam: DOLLS!
Onde você podia pegar um monte de dollzinhas de vários tipos, personagens, etc pra lotar seu blog ou site adolescente tr00 goth ou otaka kawaii. O mais surpreendente é que o site existe até hoje! E todas as dollzinhas continuam lá!

 



Crie seu Próprio Site Incrível no Geocities!

Mas se você queria criar seu próprio site de fã para colocar suas coisas, também era possível. E isso acontecia muito! Nessa década os sites amadores de variedades bombavam, principalmente de anime.
Como não havia opção de interatividade de vídeos (normalmente o máximo que você tinha era música de fundo no formato Midi bem vagabunda) o pessoal procurava compensar fazendo textos sobre a obra (rolava até narrativa do episódio) e informações conseguidas sabe-se onde. (eu digo, galera lia muito mais antes). Fora que havia também muitas, mas muitas fanfics de tudo que é tipo e tinha gente que montava um site só pra postar suas histórias. (incluindo aquela que vos escreve).



 
Tinha site de tudo na época e alguns eram usados até como uma espécie de blog 



Naquela época, havia sites que ofereciam hospedagem gratuita e a opção de upar seus arquivos via FTP. Esses sites ainda possuíam passo á passo de como você criar seu site (o Geocities tinha uma opção que você podia montar seu site direto do programinha deles e a bagaça demorava pacas para carregar dependendo do que você tinha colocado). E a galera amava entulhar o site com gifs animados. Depois, com o surgimento do Flash, galera começou a fazer ENTRADA PARA O SITE e a poha do Flash nunca carregava.


Quando o HPG deixou de existir, muito site  bacana se foi junto. E o do VilaBol continha poucos recursos mas era prático.


Geocities era o mais usado sempre.


Se você queria fazer um site com uma interface mais, digamos, "profissa" tinha opção de alguns softwares gratuitos onde você montava os sites (inicialmente com ajuda de tabelas e posteriormente a linguagem CSS integrada ao HTML facilitou muito o desenvolvimento de um layout mais agradável). O Pacote Office tinha na época o FrontPage para criação de sites. E outras opções eram uns softwares que você encontrava em cds de revistas de informática ou mesmo comprar aquelas revistinhas super marotas no jornaleiro, que te passava a ilusão de que continha tudo para você fazer aquele site mega-ultra-master-foda de Pokémon e de Tíbia que você tanto queria.
Nessa época o termo Webmaster era muito utilizado pra galera que montava seus sitezinhos e Home Page era uma constante nos nomes dos sites.



 
Seja você também um grande webmaster e crie sites de sucesso!



Bate-Papo do Uol e Fóruns de Discussão

Quem naquela época nunca entrou no Chat do Uol para encontrar o amor verdadeiro? Ou para conseguir trocar uma conversa de putaria? (porque naquela época não tinha isso de nude, se tivesse uma can até poderia ver alguma coisa) Ou entrar lá com o nick @tesao25cm/ @gatinhamelosa para trollar alguém enquanto os pais diziam pra tomar cuidado com amizades na internet que poderiam ser seriais killers tentando te seduzir pra te matar.
Se a conversa fluía, ia pro privado e ás vezes era necessários dias/semanas combinando de entrar no chat no mesmo horário para então ver se rolava de marcar um encontro pessoalmente em algum lugar público (e aí você ia disfarçado(a) no dia pra ver se a pessoa era aquilo que ela dizia, porque se não fosse você ia embora pra sempre).


Só conversa de qualidade


Antes do surgimento do orkut, os fóruns de discussão eram o "point" da galera para trocar ideias, informações e também brigar, na internet. Havia muitos fóruns, praticamente todo site grande acabava tendo um. Nos fóruns você criava seu perfil (nada de foto, era uma imagem de personagem mesmo) com uma assinatura normalmente super rebuscada com direito a uma imagem personalizada (ou em gif animado). Mutos fóruns eram divididos em diversas categorias e em cada uma havia vários tópicos. Alguns fóruns tornaram memoráveis. Eu particularmente lembro de dois que acessava muito: o Fanfic Brasil e o Carcasse.
Inclusive galera costumava marcar encontros de geral do fórum em determinado evento e você finalmente conhecia aquele seu amigo virtual com quem você passava horas conversando. Eu mesma lembro do fórum de Fanfics Brasil que se reuniu no terceiro Anime Friends, com direito á uma placa gigante pra galera se localizar.


 



Winamp, Media Player e Horas por uma MP3

Fazer downloads nessa época não era fácil. Com a net discada, mesmo a Banda Larga era lenta e para conseguir uma mísera MP3 você levava horas. Um CD completo então...já era difícil pra achar e demorava muito, então você baixava uma por uma as músicas. E tinha que torcer para a conexão não cair senão você tinha que baixar tudo de novo.


Não demorava tanto assim mas só pra saber que não era fácil


Como não havia Youtube e nem Spotify, você tinha que ouvir as músicas em programas como o Winamp, que era ótimo e ainda tinha a opção de personalizar o fundo.
O Media Player era o mais popular e enquanto a música tocava e vinha com o adicional de poder gravar cds com as músicas que você baixou (mas antes tinha de lembrar de baixar ou converter em .Wav ou outro formato porque o MP3 não ia rodar nos aparelhos de som que todos tinham na época). Bastava ter um gravador de cd no seu pc e você se sentia o tal por fazer cópias dos cds com músicas daquela banda que você e sua galera curtiam. (e ainda fazia umas artes bem louca com canetinha em cima do cd).




A melhor coisa do Winamp é que ele tinha opção de personalizar o fundo

Media Player - auge por gravar cds



 Quando a internet discada foi superada pela louvada Banda Larga, as coisas ficaram ainda melhores.  Ainda era uma net lenta para downloads, mas pelo que tinhamos antes era um tremendo avanço.
Assim, começaram a surgir os programas que faziam milagres e permitiam que você baixasse as músicas. Entre os mais populares  estavam o Emule, Kazaa, Limewire... eles funcionavam de forma semelhante ao Torrent: mas lá você colocava no campo da busca o que procurava e aparecia tudo que tinha relacionado. Muita gente upava arquivos e aí ficava disponível para download.
Era preciso baixar música por música e algumas eram bem difíceis de conseguir. Ou se tinha música com o mesmo nome mas que eram diferentes você corria o risco de baixar a música errada. Mas diferente dos downloads de antes nesse, pelo menos, se sua net desconectasse, o programa continuava baixando quando a net voltasse e você abrisse o programa. Acontecia de determinada música não ter ninguém ali compartilhando pra você conseguir baixar e só restava torcer para que uma hora isso acontecesse.


Kazaa e Emule: muitas músicas e altos vírus - mas sempre valia a pena no final


 Por enquanto, chegou a hora de parar aqui. A internet tem que ser desligada porque sua mãe precisa usar o telefone pra falar com sua vó. 
Mas logo teremos a parte 2 desse artigo com muito mais coisas nostálgicas dessa época. Tira o disquete do leitor e hora de sair desse computador. E não esqueça de cobri-lo com as capas para não pegar pó.

Haverá a segunda parte dessa sessão nostalgia muito em breve, fiquem atentos!




~*~