quarta-feira, 26 de outubro de 2016

FotoPlay, Aniversário e Photoshoot





Hey pessoal! Desculpem pela demora em atualizar o blog (não que faça muita diferença mas...) esses dias foi uma correria danada devido á várias coisas. Como diz o título, rolou photoshoot com cosplay novo, rolou festinha do meu aniversário, rolou o primeiro evento que ajudei a organizar e rolou até uma gripe morfética que me capotou por uma semana. Mas agora tudo se acalmou, estou em uma fase mais pensativa da minha vida então ano que vem farei algumas mudanças em vários âmbitos.

Mas vou deixar essas divagações para um outro post e fazer aqui um post mais descontraído, contando um pouquinho de cada coisa. Vou começar sobre o projeto FOTOPLAY, que foi uma ideia surgida entre eu e alguns amigos fotógrafos com a premissa de oferecer photoshoots cosplay profissional, com excelentes fotos, preço acessível e isento de favoritismos. Desde o processo de criação até a conclusão pós-evento, todos nós ficamos na constante expectativa se a ideia daria certo ou não.


 


E o projeto deu super certo! A galera que participou adorou o resultado! Apesar do imenso calor que fez no dia, todos se divertiram e as fotos ficaram lindas! Se quiserem ir conferindo, acessem a page oficial: https://www.facebook.com/ProjetoFotoPlay/
A boa noticia é que devido ao ótimo resultado da primeira edição, em breve ocorrerá outra! EU e os fotógrafos já estamos conversando sobre e acredito que em breve haverá mais informações! Participar desse projeto foi muito legal e, embora eu ficasse com uma vontade louca de estar usando cosplay e fotografando no dia, também foi bem divertido ficar observando o pessoal, monitorando e dando uma ajudinha tanto para os fotógrafos quanto para os cosplayers!



Galera que participou do primeiro FotoPlay.


Uma semana antes do FotoPlay realizei um photoshoot do meu mais novo cosplay. Esse cosplay foi um presente de mim para mim e foi um que pouquissimas pessoas tinham conhecimento de que eu faria.  Quis manter em off e estreei ele não em evento, mas com um photoshoot profissional feito pelo meu parsa Roger Willian Fotografia. Foi demais realizar esse ensaio (embora eu ainda tenha de arrumar algumas coisinhas no cosplay). Agradeço também á minha amiga Paulinha por ter feito a arma da personagem. O cenário que escolhi foi o terraço de um prédio muito legal aqui da minha cidade e eu cheguei a pensar que não conseguiria fotografar nele. Mas consegui! E o melhor é que tinha vento no dia então teve fotos com efeitos ótimos! Eu ainda não recebi todas as fotos do ensaio, mas vocês podem conferir algumas aqui.
E claro, o cosplay é a Ryuko Matoi de Kill la Kill! \o/ Amo demais essa personagem porque a personalidade dela é muito parecida com a minha em diversos pontos. E foi o primeiro cosplay que mostrei a barriga e pra isso tratei de diminuir a cintura e maneirar no doce XD.
 E em breve vai rolar grupinho lindo e lacrador de Killa la Kill com as migas! E lógico que faremos um ensaio!


 



Nesse último domingo eu também fiz aniversário. Não vou revelar aqui a minha idade mas posso dizer que chueguei a um ponto da vida que se tornou meio que um "divisor de águas" no quesito de coisas que faço, fazia ou pretendo fazer. Percebi que terei de abrir mão de algumas coisas e focar em outras e notei também que coisas que algumas coisas para mim não são mais as mesmas (e não sou só eu que estou pensando assim, muitos amigos e conhecidos meus estão sentindo a mesma coisa). Não que e u vá abandonar mas transferir determinadas coisas para outros focos que me darão um retorno e uma satisfação maior.

Mas enfim...fiz festinha no meu aniversário e amei demais a presença de todos. É sempre bom ver a galera e fazer zoeira (e ainda ganhei presentinhos!). Teve algumas pessoas queridas que não foram na festinha mas já estou programando um pic nic para reunir o pessoal. E na real, estou em uma vibe bem mais zen, curtindo mais rolês suaves que não cansam tanto e se tornam muito mais proveitosos.




Os rolês são legais mas parece que sempre fico achando que o tempo passou rápido demais e não deu pra  conversar com todos o tanto que eu queria XD. Por isso vou pregar mais rolezinhos e mais ensaios a partir de agora. Assim vai até sobrar mais condições para se fazer outras coisas que tenho e mente. Mas vou dissertar sobre isso em uma futura postagem no blog ou mesmo em um post do face mais pro final do ano porque aí vou ter amadurecido minhas idéias e (espero) ter tomado determinadas decisões.
Não faço idéia do motivo de eu ter desanimado com certas coisas. Simplesmente parece que ouve um "clique" na cabeça e não só eu, mas várias pessoas ao meu redor estejamos fartos de determinadas coisas e estamos decidindo tomar outros rumos e outros focos. Mas claro que permaneceremos unidos XD. É só uma mudança de ares de rolê mesmo.



Ganhei o Alea e o Chris, meus vocalistas 
alemães delicias sonho de consumo


~*~

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Cosplay - RE-L MAYER - Ergo Proxy



Aqui, postarei as fotos do meu cosplay e também comentários que eu ache interessante registrar. Seja sobre o personagem, sobre como consegui meu cosplay, o retorno que me trouxe e o que mais eu considerar relevante.




A Personagem na Série:

Re-L Mayer é a protagonista feminina do anime Ergo Proxy.
Para se falar sobre ela é necessário entender um pouco sobre do que se trata o anime Ergo Proxy.

O anime é uma obra única, que a elevou em um estado de "cult" e que se tornou um dos animes mais elogiados na época de seu lançamento. A trama se passa em uma época futurista onde o planeta encontra-se inteiramente desolado e os humanos vivem em uma gigantesca cidade protegida por uma espécie de redoma, a Romdo Dome, pois os governantes alegam que fora dela é praticamente inóspito para se viver. Na cidade futurista, os humanos convivem com os androides de avançada inteligência artificial que realizam as mais diversas funções.
Re-L Mayer é neta do homem mais poderoso de Romdo, e ela trabalha com a parte investigativa relacionada aos andróides que misteriosamente começam a adquirir uma "consciência" perante o surgimento de uma estranha entidade denominada Proxy. Em suas investigações, Re-L conhece o jovem Vincent Law e descobre que existe pessoas vivendo fora da cidade de Romdo. Ela e Vincent partem então em uma jornada pelo mundo inóspito para encontrarem respostas sobre tudo o que está acontecendo, bem como a origem de Vincent, que revela ser não apenas um Proxy, mas o mais poderoso deles. E nessa jornada, Re-L acaba descobrindo verdades sobre sua própria existência




Re-L Mayer é a minha personagem feminina preferida. No momento que a vi, ainda em imagens promocionais, já me encantei pelo design da mesma e quando vi o anime, tive certeza que ela seria uma das minhas preferidas. Além da estética, a personalidade e jeito da Re-L me representa muito, principalmente no fato de ela ser do tipo que pensa primeiro nela e que busca sempre descobrir respostas, não se contentando com mentiras e comodismo. Outra coisa que gosto muito dela é a estética: Re-L é praticamente uma gótica elegante, dotada de uma personalidade forte e muito inteligente. Ela é também curiosa: não descansa enquanto não obter as respostas que procura.

A Re-L (cujo nome  sempre causa uma certa estranheza) ainda é o tipo de pessoa dificil de lidar e que, embora seja inteligente, é também estressada e um pouco arrogante. Mas debaixo de toda essa postura fria e racional, a Re-L tem ainda um lado gentil e compreensivo, muito embora ela tente evitar de expô-lo ao máximo. Uma coisa que gosto muito na Re-L é exatamente essa dualidade, a qual me identifico muito.




Fazer o cosplay da Re-L foi praticamente a realização de um desejo que eu muito esperava. Esse era o tipo de cosplay que eu sempre tive vontade de fazer mas nunca tinha tentado por conta de achar que não conseguiria deixá-lo do jeito que eu queria. Mas aí, asnos atrás eu fui notando que já tinha em casa acessórios que se combinados, poderia montar um visual extremamente parecido com o dela. Resolvi então tomar coragem e tentar fazer o cosplay. Na primeira vez, não consegui por conta de problemas em fazer o penteado da peruca mas não desisti do projeto e no ano seguinte consegui estreá-la no Anime Friends.

Porém, devido á um incidente com o sobretudo de vinil (ele rasgou ;_;) eu precisei deixar o cosplay parado por mais de ano e eu tinha até então pouquissimas fotos do cosplay, apenas de evento e isso me deixava bem frustrada. Até que finalmente consegui outro sobretudo e também uma peruca melhor e em vez de usar em evento, optei por realizar um photoshoot.



O photoshoot da Re-L Mayer foi o photoshoot que eu mais amei fazer. Escolhi o cenário e o fotógrafo certos para isso e o resultado foi melhor do que eu imaginava. Quanto mais gostamos de um personagem, mais incorporamos ele e com a Re-L, além de eu estar super empolgada pelo ensaio, eu mantive o foco de fazer o melhor possível para ficar exatamente como eu queria (além do mais fazer o ensaio com o Dolci era algo que eu queria há tempos). A repecurssão desse photoshoot foi excelente e através dele fiz até novas amizades. Gostei tanto desse ensaio que uma das fotos eu imprimi e fiz um quadro grandão XD.

Algo que também me deixou muito feliz foi eu poder ver o avanço e o resultado que obtive. É muito dificil eu me gabar de qualquer coisa que eu faça, mas com esse cosplay eu não consegui evitar porque o resultado dele surpreendeu diversas pessoas e até mesmo á mim. Ele se tornou um dos meus cosplays preferidos e um dos que mais incorporo.




Uma das coisas mais legais que obtive com esse cosplay foi a chance de poder fazer uma dupla de Re-L Mayer e Vicent Law com meu namorado. O resultado ficou melhor do que eu imaginava e  já estou mega ansiosa para fazer um ensaio exclusivo. Agradeço imensamente ao meu namorado por ter topado fazer o cosplay (mesmo achando o anime um pouco cansativo =p) e também ás minhas amigas Hime e Mari por terem feito a roupa e a máscara em tempo recorde para o evento.
O diferencial dessa nossa dupla é que somos, até o momento, a única dupla de Ergo Proxy  do Brasil. *o*

Como Ergo Proxy é uma obra cult pouco conhecida, os cosplays da mesma são limitados e isso me incentiva cada vez mais a aperfeiçoar este cosplay. Fazer cosplay em dupla com seu conjugue é sensacional porque as fotos mais românticas e ousadas saem muito mais naturais e o resultado fica sensacional. Ainda mais se for cosplays de personagens que gostamos.



 


Esse é um cosplay que não é tecnicamente trabalhoso quanto me pareceu a princípio. Inicialmente pensei que eu teria mais trabalho na maquiagem mas esta se tornou bem prática e fácil de fazer (e eu simplesmente adoro o tanto de sombra azul que ela usa, o efeito nas fotos é sensacional). O mais trabalhoso foi fazer o penteado da peruca. A Re-L possui um penteado que parece duas orelhinhas no topo da cabeça. Eu já havia visto tutoriais na internet mas nada dava certo. Até que acabei tendo uma ideia genial que deixou a colocação da peruca e o penteado super práticos. Claro, ainda dá um certo trabalho de colocar e ajustar mas pelo menos deu certo e ficou melhor do que alguns penteados que eu havia visto em outros cosplays.

Quanto a roupa, a minha não está 100% fiel ao original (até porque em alguns promocionais a roupa da Re-L aparece meio arroxeada e outras vezes no anime parece toda preta). Optei pela versão toda preta porque além de eu já ter as coisas, acho que o contraste fica bem melhor. Com o visual inteiramente preto, a maquiagem azul dos olhos e o rosto pálido são realçadas e o resultado fica bem bacana.




Embora esse seja um dos meus cosplays que mais gosto e a Re-L seja minha personagem feminina preferida, eu usei pouquissimas vezes esse cosplay. Não apenas pela falta de oportunidade mas também porque Ergo Proxy é uma obra que quase ninguém conhece. Na primeira vez que utilizei em evento acho que apenas duas pessoas reconheceram mas na segunda vez em que usei o cosplay em dupla com meu namorado, o reconhecimento foi maior. Se bem que  o fato de ele estar usando a máscara do Proxy chamou bastante atenção. XD

Logicamente pretendo usar esse cosplay mais vezes, muito embora agora eu pretenda ir menos em eventos. Mas quero usar ela novamente tanto em evento quanto em um ensaio em dupla (já temos tudo esquematizado, só precisamos agendar a data e o local).



Evolução do Cosplay:

Mesmo tendo-o usado poucas vezes, eu consegui fazer algumas mudanças visíveis no cosplay. Melhorei a peruca (optando por uma mais longa) e o sobretudo. Eu sinto muita falta do meu sobretudo de vinil mas ele rasgou e tive que utilizar outro para o cosplay. No final das contas, embora eu amasse o meu sobretudo de vinil, admito que o sobretudo de tecido combinou melhor. Também deixei a maquiagem dos olhos mais intensa.


Micro-vídeos marotos que fiz no evento CAF desse ano. Estou AMANDO fazer esses micro vídeos, o resultado é bem legal! Agradeço ao meu parsa Roger por tê-los gravado!


video


video





Enfim, a Re-L é um cosplay do qual tenho muito orgulho. Decidir quais fotos colocar nessa postagem foi bem difícil porque acabei gostando da maioria (principalmente as do ensaio). Acho que isso acontece por conta do meu grande apreço pela personagem que me fez tentar obter o melhor resultado possível. E meu carinho por esse cosplay aumentou ainda mais quando consegui fazer a dupla. Então por conta disso nem ligo se a obra é super reconhecida ou não, porque o retorno que obtive a satisfação pessoal são coisas que não tem preço.

Eu não sei se tem alguma coisa nesse cosplay que eu precise aperfeiçoar, porque incrivelmente gosto muito dele e sempre que o uso tento fazer o melhor que posso tanto na maquiagem e nos trajes quanto na postura. A arma que utilizo no cosplay não é igual a dela, mas eu não penso em mudar porque o revólver que encontrei chega a ser melhor que o dela. Porque além de ter um design futurista, ele acende e faz uns efeitos mega legais! *o*




Enfim, acho que não tenho mais muito o que dizer por aqui, então fiquem com as fotos desse meu cosplay XD. E uma coisa que aprendi com ele é que você não deve nunca desistir de fazer o cosplay do personagem que você mais gosta e sendo ele o seu preferido, faça o melhor que puder e se dedicar mesmo! Eu demorei pra fazer a Re-L e demorei mais ainda para fazer um photoshoot dela. Mas a demora super valeu á pena (sim, na época que fiz o ensaio, floodei meu facebook com as fotos). E quando pude realizar a dupla então...nossa foi uma realização enorme (quase igual á quando fiz a dupla de Levi e Erwin).

Deixo aqui por último, a foto que mais gostei do meu cosplay de Re-L até o momento.




~*~


Photos by
Fabricio Modesto Dolci
Alphonso Park
Julio César Buosi
Roger William
Wellington Johnny Araujo Cunha
Gustavo Polézi

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Gravidez aos...5 anos




Sim, você leu certo: gravidez aos 5 anos.
Esse absurdo só poderia ser fake mas é real, muito real. Eu confesso que na primeira vez que li sobre (isso há mais de ano) custei a acreditar que pudesse ser real até porque, convenhamos...com cinco anos de idade é praticamente IMPOSSÍVEL uma menina engravidar afinal não está com o aparelho reprodutor formado, tampouco o corpo tem a capacidade de gerar outra vida.
Com base nisso, pesquisei mais á fundo e pedi até para que o criador do excelente Mundo Gump fizesse um artigo sobre, á fim de ter uma confirmação mais contundente sobre o caso. E no fim é comprovado e registrado essa história chocante, trágica e terrivel que aconteceu em 1939, no Peru.

A garota, Lina Medina, apareceu subitamente grávida quando tinha apenas 5 anos, 7 meses e 17 dias de vida. E a descoberta foi de uma forma muito esquisita. A menina foi levada pelos pais a um hospital por conta de um estranho volume na região abdominal. Á princípio, os médicos pensaram que fosse o caso de um tumor mas, após os exames iniciais, foi constatado, para total assombro de médicos e pais, que a garota já estava no sétimo mês de gestação.

Como não havia condições de interromper a gravidez em um estado tão avançado e por conta de ser o primeiro caso registrado do tipo, o nascimento do bebê (um menino) de Lina ocorreu em 14 de Maio de 1939, na cidade de Lima. O parto foi realizado pelo médico Gerardo Lozada. O parto foi, logicamente, uma cesariana até porque a pélvis da criança era estreita demais para se passar o corpo de um bebê.
   Os médicos que estudaram o caso, concluíram que ele era único pois Lina Medina  tinha uma condição raríssima de puberdade precoce, no qual seus orgãos sexuais começaram a se desenvolver precocemente; provavelmente a primeira menstruação dela tenha ocorrido por volta dos 8 meses de idade e seus seios passaram a se desenvolver por volta dos 4 anos. Se ela foi abusada nesse meio tempo ou unicamente quando ocorreu o  período fértil dela, ninguém sabe
. Os pais da menina, pessoas ignorantes e pobres (até porque ainda ocorria naquela época, permeada de preconceitos) não perceberam que a filha tinha um ciclo menstrual. Até o momento em que ela foi examinada antes do parto, foi averiguado que seu sistema reprodutivo era totalmente compatível com o de uma mulher adulta normal.



Lina Medina grávida


O bebê de Lina nasceu com 2 quilos e meio, sendo batizado de Gerardo (em homenagem ao médico que fez o parto). O bebê chegou a ter uma vida normal, mas faleceu aos 40 anos devido á uma doença na medula óssea. De acordo com os jornais, o garoto foi criado com Lina como se ela fosse a irmã dele e não a mãe, vindo a saber a verdade depois dos 10 anos de idade. Lina Medina  casou-se muitos anos depois (já adulta)s com outro homem, tendo dele um segundo filho em 1972.

Voltando á época do ocorrido, médicos, repórteres e policiais chegaram a ir até a vila onde a garota vivia á fim de reportar o ocorrido. Muitas pessoas ofereceram ajuda á família, mas haviam propostas absurdas que visavam colocar Lina e o filho em exposição  em uma feira mundial da cidade. A família pelo menos, recusou todos esses tipos de proposta, aceitando somente a proposta de um empresário norte-americano para que a mãe e o bebê fossem aos EUA para a realização de pesquisas. Porém, o governo peruano logo proibiu qualquer proposta feita á familia alegando que mãe e filho estavam em perigo moral, criando até mesmo uma comissão para protegê-los. Mas poucos meses depois, os abandonou.

Lina permaneceu no hospital por quase um ano até que a Corte Suprema permitisse que ela voltasse a conviver com os pais. Porém anos depois, o governo expropriou Lina e a família da casa, destruindo a moradia para a construção de uma estrada. Ressarcimento do governo? Até hoje nenhum.


Lina, o filho e o médico que realizou o parto


Mas uma pergunta intrigante é: quem é o pai? Ou melhor, quem foi o homem que abusou e engravidou essa criança? Esse é um mistério que permanece até hoje e certamente nunca será revelado. Isso porque, na época do ocorrido, não havia como fazer qualquer exame e também a própria Lina nunca revelou quem era o homem que a violentara.
Inicialmente, o pai dela foi mantido em cativeiro sob acusação de abuso, mas foi liberado por falta de provas. As suspeitas também pairaram sobre o irmão de Lina, que era deficiente mental. É fato que, dada a idade da garota quando ocorreu o abuso, o homem que a violentou seria alguém próximo, como um tio, primo, professor, padre....o mais intrigante nisso tudo é que Lina nunca quis revelar quem era o pai biológico da criança e nas vezes que tentaram extrair isso, ela se recusou a responder.

O motivo de ela fazer isso ninguém sabe. Talvez o trauma gerado pelo abuso praticado por alguém próximo de Lina a fez se recusar a contar. Pode, evidentemente, ter ocorrido ameaças ou talvez o violentador usou um argumento que foi eficaz para silenciar a criança e que pairou na mente dela até mesmo na fase adulta. Entretanto, ainda há a possibilidade de Lina não revelar quem foi o abusador pelo fato de ela não saber.
Muitas vezes em casos de estupro e abuso, o trauma pode fazer com que a pessoa entre em um estado de negação para evitar a dor e isso faz a mente "apagar" o ocorrido. Ainda mais sendo ela uma criança de 5 anos (talvez os abusos tenham começado antes disso, o que agravaria ainda mais a situação do psicológico da menina).
E como se não bastasse, por ela ser de origem humilde, o caso na época foi considerado pelos religiosos locais como uma espécie de milagre.



Lina e seu primeiro filho.


Lina Medina está viva até hoje, levando uma vida pobre e sem qualquer auxílio do governo.
É fato que além do abuso, toda a exposição a qual ela foi submetida (é quase impossível imaginar o que se passou durante anos na cabeça daquela criança ao ter gerado outra criança) e posteriormente todas as dificuldades que vivenciou, agravaram ainda mais a mente dela. A negligência do próprio governo e pelo fato do ocorrido ter acontecido do em uma época que traumas psicológicos não eram tratados de forma correta (ainda mais para pessoas pobres) evidentemente pioraram ainda mais a própria vida dela.

É fato que Lina Medina teve uma vida extremamente sofrida desde a infância. Como ela lidou com o trauma e a confusão na infância que foi retirada dela em uma época na qual a sociedade era extremamente omissa, por ela ser uma pessoa de origem humilde e tenso sofrido toda a exposição da mídia, é algo que não conseguimos sequer imaginar. E o fato de ela nunca querer revelar quem foi o responsável por violentá-la mesmo após ter se passado décadas, mostra claramente o que um estupro pode causar em uma pessoa, ainda mais em uma criança.

~*~