terça-feira, 20 de setembro de 2016

Cowboy Bebop


See your space, cowboy... 


Talvez uma das séries mais criativas e simpáticas dos últimos tempos, Cowboy Bebop foi  dirigido por Shinichiro Watanabe e escrito por Keiko Nobumoto, produzido em 1998 pelo estúdio Ninpon Sunrise. Contando com 26 episódios e um movie alternativo, a série ganhou posteriormente alguns volumes em mangá (desenhado por Yutaka Nanten) contendo histórias que se passam antes do  desfecho da série.

Cowby Bebop consagrou-se por conter um enredo que mescla os mais diversos gêneros brindados com uma excelente e deliciosa trilha sonora de jazz, blues e classic rock. Sem dúvida uma das melhores trilhas sonoras de anime constam nessa obra.

Á principio, Cowboy Bebop parece ter um enredo meio absurdo e futurista e é assim mesmo, por isso é tão bom. A série reúne faroeste com ficção científica, drama com comédia, machismo com feminismo, complexidade com banalidade, anseios com tragédias...tudo resultando em um anime inventivo, ousado e marcante.

Na trama, somos transportado para um futuro no qual a humanidade possui colônias e grandes cidades em diversos lugares do universo - sejam planetas, satélites ou até mesmo bases interplanetárias. Isso porque após um incidente, a Terra ficou praticamente inabitável e a humanidade precisou evoluir e consolidar-se em outros lugares. Assim, as naves espaciais se tornaram os meios de transporte mais eficazes, sendo algo tão comum quanto carros e aviões.

A bordo da gigantesca e maltrapilha nave conhecida como Bebop, conheceos Spike Spiegel; um cara magro, de olhar estranho, que anda curvado e parece estar sempre com fome. Ele segue uma viajem sem rumo com seu amigo Jet Black - um homem forte, com cara de mau e uma braço mecânico cujo maior hobby é cozinhar e cuidar de seus bonsai.


Ambos são caçadores de recompensa - pessoas que estão sempre atrás de criminosos para captura-los, entregá-los ás autoridades e receber um pagamento por isso. Para ficarem sempre atentos aos criminosos, os caçadores de recompensa contam com um programa de tv com temática faroeste que mostra diariamente determinados meliantes e cujos apresentadores sempre dão sua opinião pessoal.

É durante sua viajem e caça de criminosos que Spike e Jet se deparam com a sensual Faye Valentine - uma jovem ousada, interesseira e totalmente obcecada por dinheiro e apostas. Mesmo á contragosto, da dupla e devido á certos contratempos, Faye acaba ficando na Bebop ajudando na caçada aos criminosos para receber uma parte dos lucros. Como se não bastasse ter uma folgada á bordo, eles acabam encontrando uma estranha criança de nome Ed (cujo sexo até hoje não foi bem definido) que, apesar de todasw as inúmeras esquisitices (ela está sempre descalça e se arrastando pelo chão), é uma incrível hacker com um óbvio problema mental. E, claro, não podemos esquecer do mascote, Ein. Um cãozinho fofo que na verdade é um experimento científico super inteligente que vale milhões - mas ninguém sabe disso.

Na maior parte da série acompanhamos o cotidiano dos tripulantes da Bebop em suas buscas por dinheiro. Cmo caçadores de recompensa, eles estão sempre se metendo com os criminosos mais variados existentes no espaço sideral. E claro que isso gera muita ação, grandes perseguições, batalhas mno á mano (o estilo de luta de Spike, o Jet-Kune-Do é o estilo de luta criado por Bruce Lee) e doses que mesclam drama e humor nos momentos certos.

Mas, a despeito de toda a ação empolgante, talvez o mais interessante em Cowboy Bebop seja acompanharmos a convivência de seus personagens. Todos são muito diferentes entre si, vivendo em constante atrito. Porém, ao mesmo tempo que dizem não se importar um com o outro, vemos que é o contrário e mesmo que não admitam, se consideram mais do que amigos: uma família. E a razão para isso é simples: todos são sozinhos e não possuem um lugar para  voltar que não seja a nave Bebop.


E, das picuinhas e diferenças, surge companherismo. Todos os quatro (cinco, se contarmos Ein) possuem um passado o qual escondem. Seja Jet Black por ter sido o policial conhecido como "Black Dog", seja Faye por ter sido congelada por mais de 50 anos e despertar sem lembrar de nada...até Ed possui um histórico. Mas claro que a história mais interessante é a de Spike.

Durante a série, vamos descobrindo fragmentos do passado ao qual ele abandonou, mas nunca foi capaz de esquecer. Membro de uma organização de assassinos conhecida como Red Dragon, Spike ocasionalmente se depara com seu inimigo (e outrora parceiro) de trabalho: Vicious. Ainda á serviço da Redc Dragon, Vicious é literalmente o mensageiro da morte, com seu pássaro negro nos ombros, uma katana e o desejo de matar Spike.

As razões que levam Vicious e a Red Dragon a perseguir Spike são desconhecidos mas tudo parece ter conexão com a mulher que constantemente surge nas lembranças de Spike: a bela e misteriosa Júlia. Quais os objetivos da Red Dragon e a forte conexão entre o triângulo Vicious, - Júlia - Spike, bem como os sentimentos e razões da enigmática mulher são revelados apenas nos capítulos finais. O final então, é particularmente um dos melhores já existentes em animes.

Desde as lembranças de Spike e Júlia e seus destinos, a fábula do gato sobre o amor e o combate fantástico entre Vicious e Spike no último ato, reproduzem um clássico digno das obras Noir. São poucos os animes cujo desfecho conseguem ser tão definitivos, originais e belamente inevitáveis quanto este.



A fórmula de Cowboy Bebop jamais foi reutilizada, pois é única. Só memso Cowboy Bebop ´para fazer referências á tantos clássicos musicais e filmes memoráveis, como se o anime pagasse um tributo á obras de ficção científica (em cenas que nos remetem á 2001- Uma Odisséia no Espaço e um divertido capítulo baseado em Alien -  Oitavo Passageiro). Sem esquecer, claro, das referências de enredos á filmes de gãngster, lutas e gênero Noir.

Aliás, é no gênero Noir que  reside as melhores partes do anime: todos nós desejamos saber mais sobre a relação de Spike com a misteriosa Júlia e como Vicious se encaixa nisso.

Cowboy Bebop é simplesmente fenomenal, uma mescla de todos os estilos, uma hisrtória cotidiana de conteúdo, com personagens vivos e um foco multidimensional que matém o espectador atento até o final. Se você procura por um anime divertido, interessante e que ainda assim seja original, memso se você não for adepto de animes, Cowboy Bebop nunca irá te decepcionar.




Minha contribuição em homenagem á essa obra: meu cosplay de Julia:

  


~*~

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário